Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e primeira-dama Melania, com o presidente da China, Xi Jinping, em Pequim 08/11/2017 REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

PEQUIM (Reuters) - As reuniões desta semana em Pequim entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, irão se concentrar nos desequilíbrios comerciais entre os dois países, disse o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, nesta quarta-feira.

Ross falou na capital chinesa em uma cerimônia de assinatura de acordos comerciais no valor de cerca de 9 bilhões de dólares durante a visita de Trump.

Trump elevou suas críticas ao enorme superávit comercial da China com os EUA --chamando-o de "embaraçoso" e "horrível" na semana passada-- e acusou Pequim de práticas comerciais injustas, alimentando preocupações de uma maior tensão entre os dois países.

"Abordar o desequilíbrio comercial da China com os EUA tem sido o foco central das discussões colaborativas entre o presidente Trump e o presidente Xi e alcançar um tratamento justo e recíproco para as empresas é um objetivo compartilhado", disse Ross.

Dados nesta quarta-feira mostraram que as exportações da China para os EUA cresceram 8,3 por cento em outubro sobre o ano anterior, enquanto as importações aumentaram 4,3 por cento. Isso levou a um superávit comercial de 26,62 bilhões de dólares com os EUA no mês passado, abaixo do recorde de setembro de 28,08 bilhões de dólares, mas superior às tendências recentes.

(Por Matthew Miller)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters