Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira, sem apresentar evidências, que acha que Susan Rice, ex-assessora de segurança nacional do ex-presidente Barack Obama, cometeu um crime por buscar as identidades de pessoas ligadas a Trump mencionadas em comunicações interceptadas, de acordo com o New York Times.

Em uma entrevista, Trump se recusou a dizer ao New York Times se ele teve acesso a dados revisados de inteligência para sustentar sua alegação sobre Rice, mas disse que irá se explicar "no momento certo".

Trump e seus aliados têm focado em relatos não confirmados de que Rice, que serviu como assessora de segurança nacional de Obama, divulgou os nomes dos assessores de Trump que aparecem em operações de vigilância dos Estados Unidos sobre alvos estrangeiros.

Rice rejeitou os relatos, dizendo que são "absolutamente falsos", em entrevista à MSNBC na terça-feira.

(Reportagem de Susan Heavey)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters