Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - Líderes republicanos do Senado dos Estados Unidos, lutando para manter uma promessa de sete anos de acabar com o Obamacare, alteraram nesta quarta-feira o foco para aprovar uma enxuta medida de revogação que irá lançar a questão para negociações com a Câmara dos Deputados.

O esforço de última hora aconteceu uma vez que senadores votaram por 45 a 55 contra uma revogação direta do Obamacare, que fornecia um período de dois anos de implementação para dar ao Congresso tempo de trabalhar em uma substituição. Sete republicanos se opuseram à medida.

Esta foi a segunda tentativa fracassada do Senado em 24 horas de revogar a lei de 2010 popularmente conhecida como Obamacare, que expandiu seguros de saúde para cerca de 20 milhões de pessoas, muitas delas de baixa renda. Na terça-feira, senadores rejeitaram o plano de revogação e substituição que republicanos estavam trabalhando desde maio.

Os fracassos enfatizaram as profundas divisões do partido sobre o papel do governo em ajudar a fornecer acesso ao sistema de saúde, com o Senado realizando o segundo dia de um debate que pode prolongar-se durante a semana.

Republicanos disseram ainda estar tentando trabalhar no que seria uma revogação enxuta, que pode somente eliminar mandatos exigindo que indivíduos e empregadores obtenham ou forneçam seguros de saúde e abolir um imposto sobre fabricantes de dispositivos médicos. 

(Por Susan Cornwell e Yasmeen Abutaleb)

Reuters