Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - O Comitê de Verbas do Senado dos Estados Unidos aprovou um projeto de lei de gastos na noite de quinta-feira que inclui 10 milhões de dólares para ajudar a financiar a agência climática da Organização das Nações Unidas (ONU) que supervisiona o Acordo Climático de Paris – apesar da decisão do presidente norte-americano, Donald Trump, de parar de custeá-lo.

O comitê de 30 membros, que destina fundos federais a várias agências e organizações governamentais, aprovou um projeto de lei de gastos de 51 milhões de dólares para o Departamento de Estado e operações no exterior, o que incluiu uma emenda para continuar a financiar a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança Climática, além do organismo científico Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas.

A emenda passou apesar de a proposta orçamentária para 2018 que o republicano Trump apresentou no início deste ano ter eliminado o apoio a qualquer mecanismo de financiamento a projetos contra a mudança climática em países em desenvolvimento e organizações.

Os EUA ainda integram a Convenção-Quadro de 1992, que supervisiona o Acordo de Paris, mas em junho Trump anunciou que retiraria seu país do pacto climático global e pararia de custear o Fundo Verde do Clima, que apoia projetos de energia limpa e adaptação climática em países vulneráveis.

Normalmente Washington contribuía com cerca de 20 por cento do orçamento da Convenção-Quadro.

(Por Valerie Volcovici)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters