Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Estudantes fazem manifestação a favor de referendo de independência da Catalunha 28/9/2017 REUTERS/Jon Nazca

(reuters_tickers)

Por Sam Edwards

BARCELONA (Reuters) - Separatistas catalães incentivaram seus apoiadores a desafiarem os esforços espanhóis para impedir um referendo de independência marcado para domingo, pedindo um comparecimento pacífico às seções eleitorais que a polícia recebeu ordens para manter fechadas.

Os grupos pró-independência Assembleia Nacional Catalã (ANC) e Omnium disseram nesta quinta-feira que as pessoas deveriam formar filas se virem a polícia barrando as zonas eleitorais, mas há temores de que a frustração com um evento cada vez mais despojado de qualquer impacto político significativo possa se transformar em tumultos nas ruas.

Lidando com uma das maiores crises políticas a abalarem a Espanha desde que a democracia foi restaurada nos anos 1970, após décadas de ditadura, as autoridades de Madri declararam o referendo inconstitucional e instruíram a polícia a impedir a votação.

A rica região do nordeste espanhol está insistindo, e seu líder, Carles Puigdemont – que classificou a reação do governo como antidemocrática – disse uma semana atrás que tem planos de contingência para garantir a realização do plebiscito.

Mas a ANC e a Omnium disseram que a prioridade da Catalunha no domingo deveria ser apresentar uma frente responsável e unida ao mundo – mesmo que isso signifique formar longas filas sem poder votar.

"Resistência pacífica, violência zero... se você não puder acessar as zonas eleitorais, de forma alguma deve responder com violência", disse a ANC em um documento interno distribuído aos seus membros.

"Acima de tudo, tenham em mente que isto não é uma manifestação, mas uma fila gigante. A imagem de milhões de pessoas enfileiradas com uma cédula nas mãos impressionará mais".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters