Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Cartaz de campanha do candidato a chanceler da Alemanha Martin Schulz, do Partido Social-Democrata (SPD), em Berlim 12/09/2017 REUTERS/Fabrizio Bensch

(reuters_tickers)

BERLIM (Reuters) - O Partido Social-Democrata (SPD) da Alemanha, de centro-esquerda, reduziu levemente sua desvantagem frente aos conservadores da chanceler Angela Merkel em uma pesquisa publicada nesta terça-feira, cinco dias antes da eleição federal alemã.

O levantamento semanal, conduzido pelo instituti Forsa para a rede de televisão RTL e para a revista Stern, indicou queda de 1 ponto percentual no apoio ao bloco CDU/CSU, de Merkel, com 36 por cento, enquanto o apoio ao SPD se manteve inalterado em 23 por cento.

O partido de extrema-esquerda A Esquerda apareceu com 10 por cento, o que pode torná-lo a terceira força política mais significativa na câmara baixa do Parlamento alemão.

O pró-mercado Partido Democrático Liberal (FDP) e o anti-imigração Alternativa para a Alemanha (AfD), crítico da União Europeia, ambos apareceram com 9 por cento. O ambientalista Verdes teve 8 por cento do apoio.

Isso quer dizer que apenas outra grande coalizão formada pelos conservadores de Merkel com o SPD ou uma aliança nacional inédita de três forças entre os conservadores, o FDP e os Verdes teriam uma maioria estável para governar, indicou a pesquisa.

O levantamento entrevistou 2.501 pessoas e foi conduzido entre os dias 11 e 15 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 2,5 pontos percentuais.

(Reportagem de Michael Nienaber)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters