Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policial em frente ao prédio da Suprema Corte do Reino Unido, em Londres. 08/12/2016 REUTERS/Peter Nicholls

(reuters_tickers)

LONDRES (Reuters) - A Suprema Corte do Reino Unido irá dizer na próxima terça-feira se a primeira-ministra britânica, Theresa May, pode ou não começar o processo de separação do país da União Europeia sem o consentimento do Parlamento, possivelmente dando uma chance para parlamentares votarem sobre o chamado Brexit.

May disse que irá invocar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa da União Europeia, que inicia formalmente a saída do bloco, até o final de março, e na terça-feira detalhou seus planos para uma ruptura completa com a UE ao deixar o mercado único do bloco.

A premiê argumenta que o governo pode invocar o Artigo 50 sem necessidade de aprovação de parlamentares, usando poderes executivos conhecidos como "prerrogativa real", mas em novembro a Alta Corte de Londres decidiu que seria ilegal a ação sem aprovação parlamentar.

O governo recorreu desta decisão à Suprema Corte, mais alto órgão judicial do Reino Unido, que realizou quatro dias de audiências perante todos seus 11 juízes no mês passado. A decisão dos juízes será divulgada na terça-feira, às 7h30 (horário de Brasília), informou a corte.

Muitos advogados dizem que May deve perder o caso, e ministros já tem projetos de lei preparados para apresentar ao Parlamento caso sejam derrotados na Justiça.

Reuters