Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Kwasi Kpodo

ACRA (Reuters) - A cólera matou pelo menos 67 pessoas em Gana desde junho e infectou mais de cinco mil num surto que ressalta os desafios de saúde e de saneamento enfrentados por uma das economias que crescem mais rapidamente no continente africano.

O Serviço de Saúde de Gana afirmou que o surto se concentrou em comunidades empobrecidas em áreas urbanas no sul que carecem de sanitários adequados, embora também tenham surgido alguns casos em regiões rurais no norte do país do oeste da África.

Cerca de 54 pessoas morreram na capital, Acra, e seus arredores, e cerca de 300 estão sendo infectadas diariamente pela doença altamente contagiosa, o que aumenta a pressão sobre as instalações de saúde locais, disse a diretora do Serviço de Saúde para a grande Acra, Linda Van-Otoo.

“Não é somente uma questão de saúde, há um grande componente de saneamento ambiental”, afirmou ela, acrescentando que as autoridades locais estão tentando combater as causas da doença, além de tratar o fluxo de pacientes.

Gana está politicamente estável, mas lida com uma variedade de problemas fiscais, embora mantenha uma taxa de crescimento anual de oito por cento há cinco anos ancorada na exportação de ouro, cacau e petróleo, o que a torna uma das mais pujantes economias africanas.

Reuters