Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Candidata à Presidência da França Marine Le Pen, em comício político em Arcis-sur-Aube. 11/04/2017 REUTERS/Benoit Tessier

(reuters_tickers)

PARIS (Reuters) - Uma tentativa de incêndio no edifício onde fica a sede de campanha da candidata à Presidência da França Marine Le Pen em Paris provocou pequenos danos, segundo uma fonte da polícia, e a candidata de extrema-direita acusou grupos de esquerda pelo ataque.

A fonte da polícia disse que o andar térreo do prédio, localizado no centro de Paris, foi atingido e que pichações mencionando a Frente Nacional, partido de Len Pen, foram encontradas nas proximidades. A fonte informou que os danos --em uma porta e tapete, segundo a agência AFP-- foram provavelmente o resultado de um ato criminal e não de um acidente.

A sede do partido fica em andares superiores do prédio.

O ministro do Interior, Matthias Fekl, condenou o ataque. "Esses são atos inaceitáveis, o debate democrático tem que acontecer nas urnas", disse Fekl à rádio RTL, sem dar nenhum detalhe sobre o ataque.

"Nós estivemos em contato com a equipe da candidata ontem à noite e vamos avaliar com eles se será necessário fortalecer os procedimentos de segurança", acrescentou.

Le Pen disse ao canal de televisão France 2 acreditar que um grupo de esquerda seria responsável pelo ataque, mas não deu nenhum detalhe e não disse porque acreditava que um grupo desse tipo seria responsável.

"Eu suponho que isso tenha sido causado por um pequeno grupo de esquerda", disse a candidata. "Esses grupos agem com total impunidade", acrescentou, dizendo que o governo dissolvemos.

A AFP disse que um grupo denominado "Combate à xenofobia" entrou em contato com eles para reivindicar responsabilidade pela tentativa de incêndio.

(Reportagem de Ingrid Melander, Sophie Louet e Helene Dauschy)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters