Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LONDRES (Reuters) - O ministro de Transportes britânico, Chris Grayling, um dos colegas de gabinete mais próximos da primeira-ministra, Theresa May, prevê que ela permaneça no cargo até pelo menos 2020, podendo ainda concorrer em outra eleição nacional.

Depois de relatos de disputas internas no gabinete, Grayling disse em uma entrevista ao Daily Telegraph, publicada neste sábado, que estava confiante de que May continuaria como primeira-ministra, assim que o Brexit fosse alcançado em março de 2019 porque ela tem apoio esmagador do Partido Conservador.

Grayling foi o gerente de campanha de May em 2016, quando ela venceu a liderança do Partido Conservador. A autoridade da primeira-ministra enfraqueceu desde que ela perdeu a maioria parlamentar nas eleições de junho.

May prometeu permanecer como primeira-ministra, e membros sênior de seu partido disseram não haver apetite para disputar a liderança ou nova eleição.

Contudo, as declarações não dissiparam as notícias sobre disputas entre ministros como potenciais sucessores de May.

O Daily Telegraph perguntou a Grayling se ele considerava que May ainda seria premiê em 2020, em vez de ser forçada a sair depois do Brexit, em 2019. Ele respondeu: "Eu absolutamente quero que ela fique e acho que ela será".

Grayling não descartou May disputar outra eleição nacional. "Quem sabe? Veremos mais para frente o que acontece, mas ao final eu acho que será escolha dela, como deveria para qualquer primeiro-ministro, sobre quanto querem servir", disse ele.

(Por James Davey)

Reuters