Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Cerimônia para acender chama da Olimpíada de Inverno de Pyeongchang 2018, em Olímpia, na Grécia 24/10/2017 REUTERS/Alkis Konstantinidis

(reuters_tickers)

Por Karolos Grohmann

OLÍMPIA ANTIGA, Grécia (Reuters) - A tocha da Olimpíada de Inverno de Pyeongchang 2018 foi acesa na Olímpia antiga nesta terça-feira usando a chama reserva do ensaio geral devido ao tempo chuvoso, e desencadeando a contagem regressiva para os primeiros Jogos de Inverno na Ásia fora do Japão.

Os preparativos para a Olimpíada, que acontecerá entre os dias 9 e 25 de fevereiro, têm sido ofuscados pela crescente crise na península coreana, desencadeada pelos testes nucleares e de mísseis balísticos da Coreia do Norte.

A tocha foi acesa usando a chama do ensaio geral de segunda-feira, uma vez que o tempo nublado e chuvoso não permitiu que a alta sacerdotisa, interpretada pela atriz Katerina Lechou, usasse o refletor côncavo para acendê-la usando os raios do sol.

"Nosso sonho de sediar os Jogos Olímpicos de Inverno agora se tornou realidade. A Coreia é só a segunda nação asiática a ter a honra de sediar os Jogos de Inverno", disse o chefe dos Jogos, Lee Hee-beom.

"Queremos que a comunidade internacional entenda que estamos comprometidos a sediar Jogos Olímpicos de Inverno seguros e protegidos".

A curta cerimônia dentro do estádio usado durante as antigas Olimpíadas gregas também contou com a presença do primeiro-ministro da Coreia do Sul, Lee Nak-yeon.

"Os Jogos Olímpicos são sagrados e universais", disse o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach.

"Eles estão acima e além de todas as diferenças que nos dividem. Em nosso mundo frágil, que parece estar se afastando, os Jogos Olímpicos têm o poder de unir a humanidade em toda a sua diversidade".

Park Ji-sung, ex-meio-campista do time inglês Manchester United, foi o primeiro sul-coreano a correr com a tocha olímpica, recebendo a chama do praticante grego de esqui nórdico Apostolos Aggelis, o primeiro portador da tocha, do lado de fora do estádio histórico.

A chama chegará à Coreia do Sul no dia 1º de novembro para o início do revezamento interno, durante o qual os organizadores esperam despertar o entusiasmo local, já que a venda de ingressos tem sido baixa.

As tensões na península coreana se acentuaram nos últimos meses à medida o presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, vêm trocando ameaças e insultos devido ao programa nuclear e de desenvolvimento de mísseis de Pyongyang.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters