Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Christian Lowe

VARSÓVIA (Reuters) - A agência de espionagem norte-americana CIA administrava uma prisão secreta em solo polonês, concluiu a Corte Europeia de Direitos Humanos nesta quinta-feira, aumentando a pressão para que a Polônia, um dos mais próximos aliados de Washington, quebre seu longo silêncio sobre o programa global de detenção de suspeitos da Al Qaeda.

O tribunal disse que fora determinado que a CIA utilizasse uma instalação em uma floresta no norte da Polônia, sob o codinome “Quartz”, que serviu como um centro de sua rede para interrogação de agentes suspeitos da Al Qaeda, após os ataques de 11 de setembro de 2001.

A Polônia sempre negou que a CIA tivesse uma prisão em seu território, mesmo após vazamentos de ex-oficiais de inteligência dos EUA e de uma investigação no Senado terem levantado atenção a mais e mais detalhes sobre o programa.

A decisão desta quinta-feira foi a primeira vez que uma corte na Europa admitiu que a CIA operou uma prisão secreta no continente.

Reuters