Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

JOHANESBURGO (Reuters) - Um tribunal sul-africano ordenou neste domingo ao governo que permita ao dono do maior rebanho privado de rinocerontes do mundo a venda online de chifres dos animais, segundo o advogado.

John Hume tem cerca de 1.500 rinocerontes em sua fazenda ao sudeste de Johanesburgo, onde cria os animais.

Os rinocerontes brancos quase foram extintos no século passado, mas os esforços sul-africanos de conservação e as fazendas privadas aumentaram o número desses animais nas últimas décadas, embora os caçadores voltem a colocá-los em perigo.

Hume corta regularmente os chifres dos rinocerontes, que crescem novamente, e construiu um grande estoque, de cerca de 500 kg.

Na semana passada, o fazendeiro entrou com um processo contra o departamento de assuntos ambientais da África do Sul.

"O tribunal ordenou que (o departamento de assuntos ambientais) nos entregue a licença", disse o advogado de Hume, Izak du Toit, à Reuters.

A África do Sul é o lar de mais de 80 por cento dos rinocerontes existentes no mundo, cuja população foi devastada pela caça para compradores no Vietnã e na China, onde é cobiçado como ingrediente na medicina tradicional.

O comércio mundial de chifre de rinoceronte foi banido por uma convenção da Organização das Nações Unidas. Isso significa que qualquer chifre adquirido na África do Sul não pode ser exportado.

No entanto, os ambientalistas estão preocupados com a possibilidade de abastecimento do mercado asiático ilícito por compradores locais.

De acordo com Hume, o governo estaria impedindo o leilão online de 264 chifres, autorizados para os dias 21 a 24 de agosto.

(Por TJ Strydom)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters