Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

MANILA (Reuters) - Soldados filipinos mataram três militantes ligados ao Estado Islâmico em uma ilha onde eles estavam escondidos depois de uma tentativa fracassada de sequestrar turistas, disse um porta-voz militar no domingo.

Os militantes islâmicos do grupo Abu Sayyaf foram mortos em um confronto no sábado na ilha de Bohol.

Dois ou três deles ainda estão foragidos, disse o coronel Edgard Arevalo, chefe do escritório de assuntos públicos do exército.

"Temos relatórios indicando que eles também foram feridos e estão ficando sem suprimentos", disse Arevalo.

Um grupo de 10 militantes entrou em Bohol neste mês. Os países ocidentais emitiram alertas de viagem sobre visitas à ilha. Seis deles foram mortos em um confronto em 11 de abril e um na semana passada.

Entre os mortos estava seu líder, envolvido no sequestro e execução de cidadãos canadenses e alemães nos últimos meses, disseram os militares filipinos.

Os militares têm lutado para acabar com Abu Sayyaf, que originalmente tinha fins separatistas muçulmanos, mas agora se envolve principalmente em crimes e pirataria.

O grupo tem mantido mais de duas dúzias de prisioneiros, a maioria marinheiros vietnamitas.

(Por Enrico dela Cruz)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters