Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi atacado neste domingo por criticar o prefeito de Londres, após os ataques à cidade que deixaram sete mortos e pelo menos 48 feridos.

Em um tuíte, Trump criticou os comentários do prefeito de Londres, Sadiq Khan, que disse que os britânicos não devem ficar alarmados por verem mais policiais nas ruas após três homens terem atropelados pedestres na Ponte de Londres antes de esfaquearem quem passava pelo local.

"Pelo menos 7 mortos e 48 feridos em ataques terroristas e o prefeito de Londres diz que 'não há motivos para ficar alarmado'", tuitou Trump.

"Nós precisamos parar de sermos politicamente corretos e ir direto ao ponto da segurança de nossos povos. Se não ficarmos espertos, só vai piorar", disse Trump.

Em resposta, um porta-voz do prefeito de Londres disse que Khan "está trabalhando com a polícia, os serviços de emergência e o governo para coordenar a resposta a esse horrível e covarde ataque terrorista".

"Ele tem coisas mais importantes a fazer do que responder ao tuíte mal-informado de Donald Trump, que deliberadamente tira de contexto suas observações pedindo que os londrinos não fiquem alarmados quando virem mais policiais --incluindo oficiais armados-- nas ruas", disse o porta-voz.

O ex-vice-presidente dos EUA, Al Gore, falando ao programa "State of the Union", da CNN, disse que achou que o tuíte de Trump deturpou o que o prefeito disse.

"Eu não acho que um enorme ataque terrorista como esse é o momento para ser divisivo e criticar um prefeito que está tentando organizar a resposta de sua cidade a este ataque", disse o democrata Gore.

O senador Mark Warner, democrata e vice-presidente do Comitê de Inteligência do Senado, disse à CNN que o "perturba" ver esse tipo de tuítes que Trump fez no rescaldo dos ataques à Londres.

(Por Yeganeh Torbati e Lucia Mutikani)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters