Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante evento em Caracas. 16/01/2017 REUTERS/Marco Bello

(reuters_tickers)

CARACAS (Reuters) - O líder socialista da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta segunda-feira que o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, é vítima de uma “campanha de ódio” global e não será pior do que Barack Obama. 

Durante a campanha presidencial, Trump criticou o governo socialista venezuelano por oprimir seu próprio povo, mas Maduro não rebateu as críticas em seus primeiros comentários públicos sobre a vitória eleitoral do republicano.

“Vamos esperar e ver o que acontece. Não vamos dar um passo maior do que a perna. Eu quero ser prudente”, disse em entrevista coletiva.

“Ele não será pior do que Obama, isso é tudo que ouso dizer. Obama deixou o mundo repleto de terrorismo. Na América Latina ele será lembrado por três golpes de Estado”, acrescentou.

O governo da Venezuela inicialmente deu boas-vindas à Presidência de Obama, mas depois as relações amargaram e os venezuelanos passaram a criticá-lo por sua política externa “imperialista” e acusaram Washington de se intrometer nas mudanças de governo no Brasil, em Honduras e no Paraguai. 

"A imprensa internacional tem especulado sobre Donald Trump”, afirmou Maduro. “Estamos surpresos com a brutal campanha de ódio contra Donald Trump em todo o mundo, no mundo ocidental”.

(Por Corina Pons e Andrew Cawthorne)

Reuters