Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ivanka Trump ocupa assento dos EUA no início de sessão de trabalho do G20 08/07/2017 REUTERS/Ludovic Marin/POOL

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu sua filha, a assessora da Casa Branca Ivanka Trump, nesta segunda-feira, depois que ela chamou atenção no final de semana ao sentar em seu lugar em uma mesa de líderes mundiais durante o encontro do G20.

Ivanka sentou na cadeira de seu pai brevemente durante a cúpula global em Hamburgo, em uma sessão de portas fechadas sobre o desenvolvimento da África onde o presidente do Banco Mundial falou. Sua presença causou uma série de reações no Twitter e chamou a atenção da mídia alemã e de outros meios de comunicação.

Na manhã desta segunda-feira, Trump chamou o arranjo de "muito padrão" em sua conta do Twitter e observou que a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que sediou a cúpula do G20, concordou.

Merkel não deu importância ao acontecimento em uma coletiva de imprensa após o fim da cúpula do G20. "A Ivanka pertence à delegação dos Estados Unidos", disse Merkel, que trabalhou com a filha de Trump em diversas questões, na última semana.

Nikki Haley, a embaixadora dos Estados Unidos para as Nações Unidas, também defendeu Ivanka, dizendo no domingo que a filha do presidente frequentemente participa de reuniões com ela e Trump, especialmente naquelas que dizem respeito a mulheres e negócios.

Ivanka Trump comandava um negócio de roupas e joias antes de assumir um emprego formal na Casa Branca, após a posse de seu pai em janeiro. Ela fez das questões femininas uma de suas principais áreas de atuação.

(Por Susan Heavey)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters