Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Sally Yates durante audiência em Washington. 08/07/2015 REUTERS/Kevin Lamarque/File Photo

(reuters_tickers)

Por Roberta Rampton e Julia Edwards Ainsley

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, demitiu na segunda-feira a secretária da Justiça interina dos EUA , Sally Yates, após ela tomar uma rara medida extraordinária de desafiar a Casa Branca e se recusar a defender as novas restrições de viagens impostas pelo governo sobre sete países de maioria muçulmana.

O ato é mais um episódio turbulento envolvendo o polêmico decreto de Trump que impõe uma pausa de 120 dias na entrada de refugiados no país e o banimento indefinido de refugiados da Síria, além de uma proibição por 90 dias de entrada de cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen.

O banimento, anunciado na sexta-feira, gerou protestos e caos em aeroportos durante o fim de semana, à medida que funcionários da alfândega tentavam colocar a ação em prática, e o banimento também afetou os mercados norte-americanos na segunda-feira, com as ações sofrendo a maior queda de 2017.

Sally Yates disse na segunda-feira que o Departamento de Justiça não iria defender a ordem contra desafios judiciais, dizendo não acreditar que seria "consistente com a obrigação solene da instituição de sempre buscar justiça e se posicionar pelo que é certo".

Horas depois, ela foi demitida. A Casa Branca disse que Yates "traiu o Departamento de Justiça ao se recusar a cumprir uma decisão legal tomada para proteger os cidadãos dos Estados Unidos", e disse que as ações da secretária foram políticas.

Trump argumenta que vetos mais rígidos a imigrantes são necessários para proteger os EUA de ataques terroristas, mas críticos dizem que a decisão é injusta contra muçulmanos e mancha a reputação histórica dos EUA, vistos com um lugar aberto a imigrantes.

Yates, escolhida pelo ex-presidente Barack Obama, estava a dias de ser substituída pelo escolhido de Trump para o cargo mais alto do Departamento de Justiça, o senador republicano Jeff Sessions, que aguarda confirmação do Senado.

"A sra. Yates é uma escolhida do Governo Obama que é fraca em fronteiras e muito fraca em imigração ilegal", disse a Casa Branca em comunicado.

A Casa Branca informou que Dana Boente, procurador-geral dos EUA para o distrito de Virgínia, foi empossado na noite de segunda-feira e será o secretário de Justiça interino até a aprovação de Sessions no Congresso.

Nos Estados Unidos, o secretário de Justiça também ocupa o cargo de procurador-geral do país.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters