Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - No primeiro dia como presidente dos Estados Unidos, Donald Trump fará uma visita, neste sábado, à sede da CIA, sinalizando um esforço de reparar o relacionamento com as agências de espionagem, após críticas à investigação sobre a invasão russa durante as eleições.

Antes da posse, Trump se envolveu em uma disputa sem precedentes com a CIA e as agências de inteligência dos EUA, mas seu porta-voz, Sean Spicer, sugeriu que Trump teria uma recepção amigável ao falar para mais de 300 pessoas no evento na CIA.

"Animado por agradecer aos homens e mulheres da comunidade da inteligência", disse o porta-voz da Casa Branca, Spicer, no Twitter. Ainda não está claro quando Trump viajaria para a CIA.

Trump criticou duramente os oficiais de inteligência depois de concluírem que o presidente russo Vladimir Putin direcionou hackers para invadir e-mails de democratas numa tentativa de impulsionar a campanha de Trump.

Trump acusou as agências de inteligência de envolvimento em táticas que lembravam a Alemanha nazista, ao vazar um dossiê não fundamentado compilado por uma empresa de segurança privada, sugerindo que Moscou tinha informações comprometedoras sobre ele.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters