Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente dos EUA, Donald Trump, é aplaudido pelo vice-presidente Mike Pence e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Paul Ryan, durante encontro com parlamentares republicanos. 26/01/2017. REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

Por Richard Cowan e Susan Cornwell

FILADÉLFIA (Reuters) - O presidente norte-americano, Donald Trump, pressionou nesta quinta-feira parlamentares republicanos por uma ação rápida em relação a uma pauta abrangente, incluindo o seu planejado muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México, cortes de impostos e revogação da lei do Obamacare, apesar das tensões sobre cronogramas e prioridades.

Parlamentares republicanos estão na Filadélfia para um encontro de três dias para elaborar uma pauta legislativa, agora que o partido tem o controle da Casa Branca, do Senado e da Câmara dos Deputados pela primeira vez em uma década.

"Este Congresso vai ser o Congresso mais ocupado que nós vamos ter em décadas, e talvez o mais ocupado que já tivemos”, afirmou Trump em discurso para os parlamentares num hotel na Filadélfia. “Basta de muita conversa e pouca ação. Temos que realizar.”

Contudo, Trump não promoveu uma esperada sessão de perguntas e respostas com os parlamentares, e o seu discurso acabou se voltando a temas secundários.

O presidente da Câmara dos Deputados, Paul Ryan, que inicialmente hesitou em apoiar Trump na campanha presidencial e criticou o então candidato em relação a alguns temas, contestou a ideia de que os parlamentares republicanos não estão em sintonia com o empresário de Nova York, que tomou posse há menos de uma semana e nunca havia ocupado um cargo público.

"Nós estamos na mesma página com a Casa Branca”, afirmou Ryan, durante entrevista à imprensa.

"Essa vai ser uma Presidência não convencional”, acrescentou Ryan. “Eu acho que vocês já estão sabendo disso a essa altura... eu acho que vamos ver atividades não convencionais, como tuítes e coisas assim.”

Trump pressionou os parlamentares por ação na revogação e na substituição do programa conhecido como Obamacare, mesmo com os republicanos tendo dificuldades para elaborar um plano alternativo, e por redução de impostos para “todos os negócios norte-americanos” e para a classe média.

Por semanas os republicanos falaram sobre formular uma pauta para os primeiros 100 dias de governo Trump. Recentemente, isso virou uma discussão sobre uma pauta de 200 dias para a aprovação de legislações importantes antes do recesso do Congresso em agosto.

"Isso vai levar mais do que simplesmente 100 dias”, disse Ryan.

Em comentários que indicaram uma falta de confiança na possibilidade de completar as tarefas rapidamente, Ryan disse que o “nosso objetivo é ter essas leis aprovadas em 2017”.

Kevin McCarthy, líder republicano na Câmara, disse que o ritmo do trabalho legislativo pode frustrar Trump.

"O presidente Trump vem de um mundo diferente”, disse McCarthy a jornalistas. “Na comunidade empresarial, ele gosta das coisas feitas rapidamente, e ele vai continuar a pressionar.”

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters