Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, testemunha em Comitê de Relações Exteriores no Capitólio, em Washington, EUA 30/10/2017 REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse não ter certeza se seu secretário de Estado, Rex Tillerson, permanecerá no cargo até o fim de seu mandato na Presidência e afirmou "não estar feliz" que alguns integrantes do Departamento de Estado não estejam apoiando sua agenda.

Em entrevista à Fox News na noite de quinta-feira, Trump atacou o Departamento de Estado, gerido por Tillerson, e disse que ele sozinho determina as políticas externas dos Estados Unidos.

"O único que importa sou eu", disse Trump. "Eu sou o único que importa porque, quando se trata disso, é isso que a política será."

Perguntado se pretende manter Tillerson no cargo pelo resto do seu mandato, Trump disse à Fox: "Bem, veremos. Eu não sei."

Trump está a caminho da Ásia para uma viagem de 11 dias com Tillerson, após meses de conflitos entre os dois.

Tensões entre Trump, um promotor imobiliário e estrela de programas de reality show que assumiu a Presidência dos EUA em janeiro, e Tillerson, o ex-CEO da gigante de energia Exxon Mobil, ressurgiram no mês passado em meio a relatos de que Tillerson teria chamado Trump de "idiota" e considerado renunciar ao cargo.

Tillerson, em uma rara coletiva de imprensa na época, disse que nunca tinha considerado deixar o governo Trump. O presidente disse em seguida que tinha um bom relacionamento com o secretário de Estado, mas criticou Tillerson por ser fraco.

O Departamento de Estado de Tillerson também tem estado em discordância com a Casa Branca em diversas questões globais, incluindo as crescentes tensões relacionadas ao programa de armas nucleares da Coreia do Norte.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters