Reuters internacional

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comenta sobre o ataque em Manchester, na cidade de Bethlehem, na Cisjordânia. 23/05/2017 REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

BELÉM, Cisjordânia (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estendeu as suas condolências nesta terça-feira às vítimas do ataque suicida em Manchester que matou 22 pessoas e disse que aqueles por trás do ataque são "perdedores do mal".

Trump, falando após conversas com o presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, na cidade de Belém, na ocupada Cisjordânia, disse que os Estados Unidos têm "solidariedade absoluta" com o povo britânico.

"Eu estendo minhas mais profundas condolências para aqueles tão terrivelmente feridos nesse ataque terrorista, e aos muitos mortos e suas famílias, tantas famílias das vítimas", disse Trump. "Tantas pessoas jovens, lindas e inocentes vivendo e aproveitando suas vidas assassinadas por perdedores do mal na vida".

A polícia disse que o agressor detonou explosivos logo após as 18h33 (horário de Brasília) na Arena Manchester, enquanto milhares de fãs saíam do show da cantora norte-americana Ariana Grande. Crianças estão entre os mortos, disse a polícia.

"Nossa sociedade não pode ter nenhuma tolerância com essa continuidade de derramamento de sangue. Nós não podemos mais aguentar por nenhum momento o assassinato de pessoas inocentes", disse Trump.

(Reportagem de Ari Rabinovitch)

Reuters

 Reuters internacional