WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira que poderia prorrogar um pouco o prazo de 1º de março para fechar um acordo comercial com a China, mas que preferia não fazer isso, acrescentando que espera se reunir com o presidente chinês, Xi Jinping, para selar o pacto em algum momento.

Autoridades dos EUA chegaram à capital chinesa nesta terça-feira para negociações de alto nível, conforme as duas maiores economias do mundo tentam fechar um acordo antes do prazo de 1º de março para evitar outro aumento das tarifas.[nL1N20708Q]

Se eles estiverem perto de um acordo completo, Trump disse que consideraria prorrogar esse prazo.

"Estamos indo muito bem lá na China", disse Trump a repórteres em uma reunião do gabinete, acrescentando que a equipe de negociação é grande.

Os EUA e a China deram uma trégua de 90 dias na sua guerra comercial para tentar chegar a um acordo, com a ameaça de tarifas pairando sobre as negociações.

Se os dois lados não chegarem a um acordo até 1º de março, tarifas dos EUA sobre 200 bilhões de dólares em produtos chineses estão programadas para subir a 25 por cento, ante 10 por cento. A China provavelmente reagiria elevando tarifas sobre 60 bilhões de dólares em bens norte-americanos que anunciou no ano passado como retaliação.

(Reportagem de Steve Holland e Makini Brice)

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.