Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump 28/12/2016 REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

Por Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) - O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira que a Rússia nunca tentou controlar suas ações e acusou agências de inteligência norte-americanas por novos relatos de que Moscou teria compilado informações comprometedores sobre ele.

Em uma série de publicações no Twitter, Trump acusou agências de inteligência de darem "um último tiro" contra ele ao vazarem informações. "Estamos vivendo na Alemanha nazista?", questionou.

Trump definiu como "notícias falsas" os relatos de que documentos confidenciais apresentados para ele na semana passada pelos chefes das quatro agências de inteligência dos EUA incluíam registros de que operações de inteligência russas teriam informações comprometedoras sobre ele.

"A Rússia nunca tentou usar influencia sobre mim. NÃO TENHO NADA COM A RÚSSIA - NENHUM ACORDO, NENHUM EMPRÉSTIMO, NADA!", escreveu Trump em uma das publicações.

Trump irá realizar sua primeira entrevista coletiva em quase seis meses nesta quarta-feira. Ele destacou anteriormente as negativas do Kremlin sobre os relatos sobre o dossiê, que surgiram na terça-feira.

"A Rússia já disse que o relato não verificado pago por oponentes políticos é 'UMA TOTAL E COMPLETA FABRICAÇÃO, SEM SENTIDO NENHUM".' Muito injusto!", escreveu.

O Kremlin informou nesta quarta-feira que é "totalmente sem sentido"a informação de que autoridades russas teriam compilado um documento de informações comprometedoras sobre Trump.

Reuters