Navigation

Trump encerrará convenção republicana pleiteando segundo mandato

Presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca 28/04/2020 REUTERS/Carlos Barria reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. agosto 2020 - 14:17

Por Jeff Mason

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fará um discurso crucial para pleitear um segundo mandato na Casa Branca nesta quinta-feira na Convenção Nacional Republicana, ressaltando seu desempenho no cargo e delineando um caminho para os próximos quatro anos.

O discurso do ex-empresário de Nova York no Gramado Sul da Casa Branca, um local incomum para um evento partidário, coroará uma convenção de quatro dias que o retratou como um líder que pode restaurar a ordem depois de meses de protestos contra a injustiça racial e reativar uma economia devastada pela pandemia de coronavírus.

Trump está tentando reverter o cenário de uma campanha de reeleição ofuscada pela pandemia, que já matou mais de 178 mil pessoas no país e deixou milhões de norte-americanos desempregados.

Faltando pouco mais de dois meses para a votação de 3 de novembro, o democrata Joe Biden está liderando as pesquisas de opinião em parte devido à insatisfação pública com a maneira como Trump trata a crise de saúde.

Trump e seus conselheiro conceberam seu discurso com mentalidade de produtores. Ele falará à nação com a Casa Branca como pano de fundo, o que levou críticos a dizerem que ele está desprezando as normas convencionais ao realizar um evento político em um cenário de tal importância histórica.

O presidente, que no início do ano foi criticado por não articular uma visão clara para um segundo mandato, compartilhará suas propostas políticas nesta quinta-feira e em discursos de campanha futuros, disse uma autoridade da campanha.

Fogos de artifício são esperados nos monumentos vizinhos de Washington ao final de seu discurso, no qual aceitará a indicação presidencial de seu partido. Ele se dirigirá a uma grande plateia no gramado, apesar dos alertas contra tais aglomerações por causa da pandemia, que forçou os dois partidos políticos a reduzirem suas convenções e realizarem eventos essencialmente virtuais.

A campanha de Trump diz que serão tomadas precauções contra o coronavírus. O presidente se vangloria com frequência do tamanho de suas plateias, mas sua campanha praticamente descartou seus comícios característicos por causa do vírus.

Ainda nesta quinta-feira, a candidata democrata à vice-presidência, Kamala Harris, planeja fazer um discurso em Washington no qual caracterizará a convenção republicana como uma distração desonesta da reação da Casa Branca à pandemia e dirá que os adversários "estão lidando com mentiras, mas também não estão com os pés na realidade".

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.