Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder democrata no Senado dos EUA, Chuck Schumer. 04/01/2017 REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

Por Richard Cowan

WASHINGTON (Reuters) - O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, que insultou adversários durante a campanha eleitoral de 2016 com apelidos como “Hillary Corrupta” e “Pequeno Marco”, tem um novo alvo predileto: o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, a quem chamou de “palhaço”.

A disputa retórica entre os dois nova-iorquinos nesta semana concentrou-se na tentativa de republicanos de desmantelar o programa do governo Obama de acesso a planos de saúde conhecido como Obamacare, um esforço que Trump colocou no topo de sua agenda.

A duas semanas de tomar posse como o 45º presidente dos EUA, Trump tem utilizado o Twitter para denegrir o combativo senador, que participou em um evento de arrecadação para senadores democratas na campanha de 2008 na exuberante mansão do magnata imobiliário na Flórida. 

Schumer, cujo partido é minoria no Senado mas tem força suficiente para potencialmente bloquear algumas iniciativas legislativas de Trump, confrontou o presidente-eleito após republicanos terem adotado nesta semana as primeiras medidas para tentar derrubar o Obamacare, um dos maiores legados do governo Obama.

Schumer utilizou uma variação do slogan “Torne a América Grande Novamente” para zombar dos esforços republicanos, dizendo que eles tornariam a “América doente novamente.”

No Twitter, Trump rebateu e disse que democratas eram os culpados pelo que chamou de “desastre” de programa. Ele acrescentou: “Não deixem os palhaços de Schumer correrem soltos.”

Na quinta-feira, Trump escreveu no Twitter que democratas estavam sendo liderados pelo “palhaço-chefe Chuck Schumer”.

Isso fez com que o líder democrata no Senado dissesse que Trump deveria parar de perder seu tempo xingando pessoas e, em vez disso, “arregaçar suas mangas” e trabalhar por um plano substituto funcional ao Obamacare.

No ano passado, em eventos de campanha, ataques feitos por Trump contra a então candidata presidencial democrata Hillary Clinton geraram entusiasmo entre os apoiadores do republicano, a ponto de gritarem “prendam-na” durante comícios.

Durante as primárias dos republicanos, Trump atacou os rivais Ted Cruz, Jeb Bush e Marco Rubio, com insultos como “Ted Mentiroso”, Bush “com baixa energia” e “Pequeno Marco.”

A zombaria pode ser pouco ortodoxa entre políticos, mas provou-se ser parte de uma fórmula vencedora, ajudando a tirar oponentes do caminho de Trump.

((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))

REUTERS PF

Reuters