Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Timothy Gardner

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse em entrevista à CBS neste sábado que haverá "punição severa" para a Arábia Saudita se o jornalista saudita Jamal Khashoggi, que está desaparecido, tiver sido morto no consulado saudita em Istambul.

Khashoggi, um crítico proeminente de Riad e residente legal dos Estados Unidos, desapareceu no dia 2 de outubro depois de visitar o consulado.

"Vamos chegar ao fundo e haverá punição severa", disse Trump.

Perguntado se o príncipe saudita Mohammed bin Salman deu ordem para matá-lo, Trump disse que "ninguém sabe ainda, mas provavelmente seremos capazes de descobrir". Trump acrescentou em trechos da entrevista ao "60 Minutes", que vai ao ar no domingo, que "ficaríamos muito chateados e com raiva se tiver sido este o caso".

Trump disse que há muito em jogo com o caso de Khashoggi, "talvez especialmente" porque ele é um repórter.

Mas Trump sinalizou que cortar as vendas militares dos EUA para o reino pode não ser uma opção, dizendo: "Eu não quero prejudicar os empregos".

Fontes turcas disseram à Reuters que a avaliação inicial da polícia é que Khashoggi foi deliberadamente morto dentro do consulado.

Riad negou as acusações.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters