Reuters internacional

Por Steve Holland

PALM BEACH, Estados Unidos (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu nesta quinta-feira o presidente da China, Xi Jinping, em seu retiro na Flórida para encontros nos quais Trump irá levantar preocupações de que Pequim deve controlar suas práticas comerciais e fazer mais para conter as ambições nucleares da Coreia do Norte.

Xi e sua esposa, Peng Liyuan, passaram de carro por uma guarda militar de honra ao seguirem para o resort de Trump em Mar-a-Lago, na Flórida. Eles posaram para fotos com Trump e sua esposa, Melania, antes de entrarem.

Os líderes das duas maiores economias do mundo devem passar algum tempo privado juntos antes de um jantar com suas esposas e outros, dando início a uma cúpula dominada por questões comerciais e de políticas externas que tem previsão de término em um almoço de negócios na sexta-feira.

Trump prometeu durante sua campanha de 2016 parar com que chamou de roubo de empregos norte-americanos pela China e reconstruir a base manufatureira do país. Muitos operários ajudaram Trump em sua inesperada vitória eleitoral em 8 de novembro e ele quer cumprir a promessa.

“Temos sido tratados injustamente e fizemos acordos comerciais terríveis com a China por muitos, muitos anos. Isto é uma das coisas que iremos conversar”, disse Trump a repórteres que viajavam com ele a bordo do Air Force One, o avião presidencial norte-americano.

Trump, ex-magnata imobiliário, ainda tenta encontrar seu ritmo na Casa Branca e precisa apresentar uma estratégia para o que seus assessores chamaram de uma relação comercial baseada no “princípio de reciprocidade”.

Ele levou seus principais assessores nacionais e de economia à Flórida para o encontro, incluindo o secretário de Defesa, Jim Mattis, o secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, e o secretário do Comércio, Wilbur Ross.

“Mesmo que compartilhemos um desejo de trabalharmos juntos, os Estados Unidos reconhecem os desafios que a China pode apresentar aos interesses norte-americanos”, disse o secretário de Estado, Rex Tillerson, também na Flórida para o encontro.

Trump e Xi devem jantar em uma sala particular em uma mesa para cerca de 30 pessoas e ornamentada com arranjos de flores vermelhas e amarelas.

A cúpula coloca junto dois líderes que não poderiam ser mais distintos: Trump, muitas vezes tempestuoso e propenso a publicações nervosas no Twitter, e Xi, externamente calmo, comedido e sem presença conhecida nas redes sociais.

O que preocupa chineses mais do que confrontos políticos é o risco de que o imprevisível Trump possa embaraçar publicamente Xi, após diversos líderes passarem por momentos constrangedores com o novo presidente dos EUA.

Reuters

 Reuters internacional