Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Marcha em defesa dos direitos humanos e dignidade de imigrantes em Los Angeles 18/2/2017 REUTERS/Lucy Nicholson

(reuters_tickers)

Por Julia Edwards Ainsley

WASHINGTON (Reuters) - O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai manter em vigor as proteções a imigrantes que entraram ilegalmente nos EUA na infância, os chamados "sonhadores", mas irá considerar todos os outros imigrantes ilegais como sujeitos a deportação, de acordo com uma diretriz divulgada nesta terça-feira.

A norma do Departamento de Segurança Interna é o plano de implementação de decretos presidenciais sobre segurança na fronteira e repressão à imigração que Trump assinou em 25 de janeiro, dias depois de tomar posse.

O presidente republicano fez campanha prometendo endurecer com os estimados 11 milhões de imigrantes ilegais no país, capitalizando os temores de crimes violentos e ao mesmo tempo prometendo erguer um muro na divisa com o México e impedir que terroristas em potencial entrem em solo norte-americano.

Autoridades do Departamento de Segurança Interna, que falaram sob condição de anonimato em uma teleconferência com repórteres, disseram que, embora qualquer imigrante em situação irregular possa ser deportado, a agência irá priorizar aqueles vistos como possíveis ameaças.

Entre eles estão recém-chegados, aqueles condenados por um crime e os acusados ainda sem condenação.

Mas muitas das instruções a agentes de imigração delineadas na diretriz não serão aplicadas de imediato porque dependem do Congresso, de um período de consulta pública ou de negociações com outras nações, disseram as autoridades.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters