Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ANCARA (Reuters) - A Turquia demitiu 107 juízes e promotores devido a alegadas ligações com uma tentativa de golpe em julho do ano passado, informou a televisão turca nesta sexta-feira, na terceira grande limpa desde que o presidente Tayyip Erdogan recebeu novos poderes.

Até agora, a Turquia já demitiu aproximadamente 145 mil funcionários civis, pessoal de segurança e acadêmicos, segundo a mídia local. O número de juízes e promotores removidos chegou a 4.238.

Ancara culpou a rede do clérigo Fethullah Gulen, que vive nos Estados Unidos, pela tentativa de golpe em julho do ano passado, do qual ele nega qualquer envolvimento.

Mandatos de detenção foram emitidos para os juízes e promotores demitidos, segundo a TV turca. Mais de 40 mil foram presos no período que sucedeu o golpe fracassado, em que 240 pessoas foram mortas, principalmente civis.

A Turquia no sábado expulsou mais de 3.900 pessoas do serviço público e das forças armadas consideradas como ameaças para a segurança nacional, após o referendo de abril, que grupos de direitos humanos e alguns aliados do Ocidente disseram que deixou o país, membro da Otan e candidato à União Europeia, mais próximo de uma ditadura.

(Por Ece Toksabay)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters