Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Parisa Hafezi

NOVA YORK (Reuters) - O presidente turco, Tayyip Erdogan, disse nesta quinta-feira que a Turquia irá enviar tropas para a região de Idlib, no norte da Síria, como parte de um intitulado acordo de desescalada negociado pela Rússia no mês passado.

As zonas de “desescalada”, aceitas pela Turquia, Rússia e Irã, serão discutidas ainda mais em conversas com o presidente russo, Vladimir Putin, durante visita a Ancara na próxima semana, disse Erdogan em entrevista à Reuters enquanto estava em Nova York para a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas.

“O acordo de zona de desescalada é uma ideia promissora... sob a qual russos estão mantendo a segurança fora de Idlib e a Turquia irá manter a segurança dentro da região de Idlib”, disse Erdogan.

“A tarefa não é fácil... Com Putin nós iremos discutir passos adicionais que precisam ser tomados para podermos erradicar terroristas de uma vez por todas para restaurar a paz.”

Autoridades curdas iraquianas desafiaram crescente pressão internacional para cancelar um referendo sobre independência. Vizinhos do Iraque temem que irá aumentar agitações entre suas próprias populações curdas e aliados ocidentais dizem que pode prejudicar a luta contra o Estado Islâmico.

Erdogan disse que a Turquia está considerando contramedidas, incluindo imposição de sanções, contra curdos no norte do Iraque por conta do referendo planejado.

A Turquia antecipou um encontro do gabinete e sessão do conselho de segurança nacional para sexta-feira sobre o referendo, disse Erdogan. Ele disse que o Parlamento também irá convocar um encontro extraordinário para o sábado. 

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters