Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

DAVOS, Suíça (Reuters) - A Turquia não pode mais insistir em uma resolução ao conflito na Síria sem o envolvimento do presidente Bashar al-Assad, à medida que a situação no país mudou radicalmente, disse o vice-primeiro-ministro turco, Mehmet Simsek, nesta sexta-feira.

A Turquia há tempos insiste que Assad deve deixar o cargo para haver uma paz sustentável na Síria. Mas a Turquia tem se tornado menos insistente sobre sua saída desde uma recente reaproximação com a Rússia, que apoia o líder sírio, e antes de conversas de paz planejadas no Cazaquistão na semana que vem. 

“Até onde vai nossa posição sobre Assad, acreditamos que o sofrimento do povo sírio e as tragédias claramente são culpa de Assad. Mas temos que ser pragmáticos, realistas”, disse Simsek a em um painel sobre Síria e Iraque no Fórum Econômico Mundial em Davos. 

“Os fatos mudaram dramaticamente, então a Turquia não pode mais insistir em um acordo sem Assad, não é realista”, acrescentou. 

Um porta-voz do presidente turco, Tayyip Erdogan, disse na semana passada que a Turquia ainda acredita que uma Síria unida e pacífica é impossível com Assad, mas quer proceder “passo a passo” e ver o resultado das conversas de paz em Astana.

(Por Nick Tattersall)

Reuters