Por Sarah Marsh

HAVANA (Reuters) - O Twitter bloqueou as contas do líder do Partido Comunista cubano Raul Castro, de sua filha Mariela Castro e dos principais meios de comunicação estatais de Cuba, um movimento que a União Cubana de Jornalistas denunciou como "grande censura".

Dezenas de contas de jornalistas da mídia estatal cubana, bem como a conta oficial do Ministério das Comunicações, também foram bloqueadas na noite de quarta-feira.

O Twitter não explicou ou avisou sobre a medida, escreveram meios de comunicação estatais em seus sites. Questionada sobre as suspensões das contas, um porta-voz do Twitter afirmou que as políticas contra manipulação da plataforma proíbem que os usuários artificialmente manipulem conversas por meio de múltiplas contas.

O sindicato cubano de jornalistas disse que a plataforma suspendeu contas individuais no passado que foram recuperadas.

A medida ocorreu no momento em que o presidente Miguel Diaz-Canel estava se dirigindo ao país na TV estatal, alertando para uma crise de energia devido a sanções dos EUA.

"O que há de novo aqui é o escopo maciço desse ato de guerra cibernética, claramente planejado, que visa limitar a liberdade de expressão de instituições e cidadãos cubanos e silenciar os líderes da revolução", afirmou em comunicado.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.