Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Robin Emmott

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia deve decidir na segunda-feira a proibição de laços comerciais com a Coreia do Norte, como parte de um novo pacote de sanções destinado a isolar Pyongyang devido aos programas nuclear e de mísseis do país.

O impacto prático das medidas deve ser principalmente simbólico: Bruxelas vai impor embargo de petróleo e vetar investimento da União Europeia, mas o bloco não vende a commodity à Coreia do Norte e empresas europeias não possuem investimento importante no país.

Trabalhadores da Coreia do Norte na União Europeia, que Bruxelas estima chegarem a cerca de 400 e principalmente na Polônia, terão um limite menor para a quantidade de dinheiro que podem enviar a seu país de origem, e seus vistos de trabalho não serão renovados depois de expirarem.

As medidas a serem acertadas pelos ministros de Relações Exteriores da União Europeia em Luxemburgo vão além da última rodada de sanções multilaterais impostas pelo Conselho de Segurança da ONU.

"Os norte-coreanos parecem estar desinteressados em ter o envolvimento da União Europeia como mediador de paz", disse um diplomata da UE. "Os norte-coreanos querem conversas diretas cm Estados Unidos, mas o presidente (Donald) Trump descartou", acrescentou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters