Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Gina e Cherelus

(Reuters) - A Universidade de Duke retirou uma estátua do general confederado Robert E. Lee da entrada de uma capela, no campus de Durham, na Carolina do Norte, disseram fontes oficiais, neste sábado, um dia depois de ela ter sido vandalizada. 

A decisão de retirar a estátua foi tomada depois de discussões entre estudantes, professores, funcionários e ex-alunos em relação à segurança do campus, disse o presidente da universidade, Vincent E. Price, em um comunicado. 

"Eu tomei essa decisão para proteger a chapela de Duke, para garantir a segurança vital dos estudantes e da comunidade que reza aqui e, acima de tudo, para expressar os profundos valores da nossa universidade", disse Price. 

A universidade renomada preservará a estátua de Lee, que liderou as forças da Confederação na Guerra Civil Americana entre 1861 e 1865, e a usará como ferramente didática para os alunos estudarem o "passado complexo de Duke", acrescentou Price. 

A Confederação, representando 11 estados do Sul, rachou com a União em grande parte para preservar a escravidão. 

Símbolos da Confederação tornaram-se foco de discussões desde o último fim de semana, quando nacionalistas brancos, bravos com a remoção de uma estátua de Lee de um parque em Charlottesville, Virginia, entraram em violentos protestos nos quais uma contra-manifestante foi morta. 

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters