Reuters internacional

MONTEVIDÉU (Reuters) - As farmácias no Uruguai terão 400 quilos de maconha disponíveis para venda a usuários registrados a partir de julho, disse nesta quinta-feira o governo, consolidando a última etapa do seu plano pioneiro de regularização da cannabis.

O Uruguai aprovou há três anos lei de regularização da maconha e desde então trabalha na sua implementação, que teve duas etapas anteriores de autorização de cultivo em casa para o consumo pessoal e em clubes de associação.

A partir de julho, o país sul-americano contará com uma rede de 30 farmácias licenciadas, ante as atuais 16, que começarão a comercializar maconha para fins recreativos, afirmou Juan Roballo, presidente da Junta Nacional de Drogas (JND).

"A cannabis será concedida em duas apresentações, de 5 e 10 gramas, embora inicialmente vamos começar nesta primeira etapa com a embalagem de 5 gramas", declarou o secretário-geral da JND, Diego Olivera.

A maconha de qualidade especial, elaborada por produtores autorizados pelo Estado, será vendida a 1,3 dólar por grama e haverá 400 quilos disponíveis inicialmente, um número que vai aumentar dependendo da demanda.

Para comprá-la, os interessados maiores de 18, que devem ser cidadãos uruguaios de acordo com a lei, terão que se inscrever em um registro de usuários, o qual será habilitado em 2 de maio. Cada um pode adquirir até 40 gramas por mês, com um fracionamento semanal máximo de 10 gramas.

(Reportagem de Malena Castaldi)

Reuters

 Reuters internacional