Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A imagem de Saturno nas cores naturais tirado do espaço pelo veículo Cassini em 19 de julho de 2013.

(reuters_tickers)

Por Irene Klotz

CABO CANAVERAL, Estados Unidos (Reuters) - O veículo espacial Cassini, da Nasa, enviou nesta quinta-feira as imagens mais próximas de Saturno, após sobreviver ao seu primeiro mergulho dentro dos anéis do planeta, informou a agência espacial dos Estados Unidos.

Uma série de fotos mostrando as nuvens turbulentas de Saturno, um grande furacão e um sistema climático de vórtex de seis lados foi transmitida de volta à Terra pelo Cassini, que tem explorado Saturno há 13 anos.

Agora em suas voltas finais ao redor de Saturno, o Cassini mergulhou na quarta-feira pelo estreito buraco entre o planeta e seu anel mais profundo, onde nenhum veículo espacial já foi. Este foi o primeiro de 22 encontros próximos planejados para levar a sonda robótica a territórios inexplorados entre o topo das nuvens de Saturno e seus anéis.

“O veículo espacial Cassini mais uma vez abriu caminho, nos mostrando novas maravilhas e demonstrando onde nossa curiosidade pode nos levar caso ousemos”, disse o chefe de ciências planetárias da Nasa, Jim Green, em comunicado.

É esperado que o Cassini fotografe diversas luas internas e estude os ventos, as nuvens, as auroras e a gravidade do planeta. As informações podem ajudar cientistas a encontrarem a fonte do campo magnético de Saturno, determinarem o quão rápido o gigante gasoso roda e descobrirem o que tem por baixo de suas camadas de nuvens.

Autoridades da Nasa não têm certeza se o Cassini irá sobreviver a todos os mergulhos nos anéis. A lacuna entre Saturno e os anéis é de cerca de 2.400 quilômetros de largura e provavelmente repleta de partículas de gelo.

O Cassini está viajando pela lacuna a uma velocidade relativa de cerca de 124 mil quilômetros por hora, então até mesmo pequenas partículas podem ser mortais caso atinjam o veículo.

Para proteção, a antena de comunicações do Cassini, em formato de prato, foi temporariamente reposicionada para servir como escudo. O veículo irá realizar manobras similares durante mergulhos subsequentes. O próximo mergulho é planejado para terça-feira.

Em seu mergulho final, em 15 de setembro, está previsto que o Cassini vai se destruir ao voar diretamente para a atmosfera de Saturno.

Durante sua primeira passagem dentro dos anéis, o Cassini passou a cerca de 3 mil quilômetros do topo das nuvens de Saturno e a 300 quilômetros de seu anel mais interno.

O Cassini tem estudado Saturno, o sexto planeta a partir do Sol, e suas 62 luas conhecidas desde julho de 2004, mas está ficando sem combustível.

A Nasa planeja bater o veículo contra Saturno para evitar qualquer chance do Cassini um dia colidir contra luas com oceanos que podem potencialmente acolher vida microbiana nativa.  

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters