Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente da Argentina, Maurício Macri, diz que a Venezuela pode ser expulsa do Mercosul. 01/03/2017 REUTERS/Martin Acosta

(reuters_tickers)

BUENOS AIRES (Reuters) - O presidente da Argentina, Mauricio Macri, disse na quinta-feira, em entrevista ao canal de notícias CNN, que a Venezuela pode ser expulsa do bloco comercial Mercosul se o governo de Nicolás Maduro não realizar uma mudança "dramática" de comportamento.

A declaração de Macri foi feita três dias depois de a chanceler argentina informar que o bloco --do qual também fazem parte Brasil, Uruguai e Paraguai-- havia aplicado a cláusula democrática à Venezuela após uma tentativa do Supremo Tribunal de Justiça venezuelano de assumir o papel do Congresso.

"Se não houver uma mudança dramática e absoluta no comportamento (do governo venezuelano), não há outra possibilidade além da expulsão definitiva" do Mercosul, disse Macri à edição em espanhol da CNN.

Na Venezuela "deve haver um calendário eleitoral, tem que se libertar os presos políticos e tem que haver uma clara demonstração de respeito a independência dos poderes", acrescentou o presidente argentino, em entrevista disponível no site do canal de notícias.

Em dezembro, os países do Mercosul já suspenderam a Venezuela do bloco por descumprir os requisitos para ser membro.

(Reportagem de Maximilian Heath)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters