Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CARACAS (Reuters) - Agentes de inteligência da Venezuela prenderam na quarta-feira um ativista da oposição acusado de planejar atos de violência, embora seu partido tenha dito que armas foram colocadas em seu carro para incriminá-lo como parte de uma onda de repressão do governo.

Em um padrão familiar de ações no últimos meses contra ativistas da oposição, Gilber Caro, parlamentar suplente do partido Vontade Popular, foi preso na quarta-feira no Estado de Miranda, segundo o governo.

"É uma questão de capturar e romper aqueles que persistem no caminho da violência", disse o vice-presidente Tarek El Aissami, escolhido recentemente pelo presidente Nicolás Maduro para liderar uma unidade "antigolpe" dentro do governo.

O vice-presidente disse que Caro carregava uma arma, munição e explosivos, acrescentando que o político da oposição possui ficha criminal, incluindo acusações de assassinato e tráfico de drogas.

O partido Vontade Popular disse que Caro voltava de uma viagem com sua namorada quando foi parado.

(Reportagem de Corina Pons e Andrew Cawthorne)

Reuters