Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CARACAS (Reuters) - Autoridades venezuelanas prenderam um ex-general dissidente e dois outros políticos regionais nesta quinta-feira no que a oposição chamou de repressão pelo governo do presidente socialista Nicolas Maduro.

Com sua popularidade caindo durante uma grave crise econômica, o governo de Maduro classifica as detenções como parte de um combate a "terroristas" e conspiradores.

Autoridades colocaram o ex-general Raul Baduel, que já havia sido preso em 2009 por seis anos, novamente na cadeia, acusando-o de ter burlado as condições de sua condicional ao conspirar contra o governo.

Dois vereadores, da cidade de Maracaibo e do Estado de Bolivar, também foram presos nesta quinta-feira, disse o governo e o partido de oposição Vontade Popular.

As prisões aconteceram após a detenção na quarta-feira de outro vereador de Maracaibo e do ativista da oposição, Gilber Caro.

Além disso, Henrique Capriles, que foi candidato à Presidência duas vezes, alertou que as autoridades estão prestes a bani-lo de exercer cargo político por causa de supostas irregularidades no Estado de Miranda, o qual ele governa. Capriles diz que as acusações são falsas.

(Por Diego Oré e Alexandra Ulmer; reportagem adicional de Andrew Cawthorne)

Reuters