Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

São Gotardo Maior túnel ferroviário do mundo é vítima de seu sucesso

A galeria de base do São Gotardo, inaugurada em 1° de junho de 2016, registra cifras recorde. Todo dia, quase 10.000 pessoas e 67.000 toneladas de mercadorias percorrem os 57 km do túnel. Um sucesso que coloca a duras provas a galeria ferroviária mais longa do mundo.

a

Em junho de 2016, pessoas tiram fotos no portal sul do túnel do Gotardo em Pollegio, Suíça.

(Keystone)

“Mantivemos nossa promessa. O tráfego ferroviário é feito de modo seguro, confiável e pontual”, afirma Philippe Gauderon, responsável da infraestrutura nas Ferrovias Federais Suíças (FFS), ao fazer o primeiro balanço da galeria da linha do São Gotardo.

De 11 de dezembro, dia da entrada em serviço da linha, até final de abril, o túnel foi atravessado em média por 9.600 passageiros por dia. Comparado ao mesmo período do ano anterior, o transporte de passageiros aumentou 30%, de acordo com a FFS. Com a nova linha, a viagem entre o norte e o sul dos Alpes foi reduzida de 30 minutos.

Quanto ao transporte de carga - o túnel foi construído em primeiro lugar para facilitar a transferência do transporte rodoviário para o ferroviário – a FFS informa que diariamente foram de aproximadamente 67.000 toneladas (120 trens por dia). É um volume equivalente à carga de 5.576 caminhões.

Trens superlotados

À satisfação da FFS se contrapõe a insatisfação de uma parte da clientela, que reclama da falta de assentos nos fins de semana e feriados em que os trens são muitas vezes superlotados, com muitos passageiros forçados a viajar em pé.

Não é só uma questão de comodidade. Em caso de acidente ou de um incêndio, um trem superlotado dificultaria uma evacuação correta, explica a própria FFS. Quando a capacidade de cada vagão supera 140% (o que corresponde a 30 pessoas em pé), cabe a esses passageiros esperar o próximo trem, afirma Patrick Walser, porta-voz da FFS.

Para não quem tem pressa, a alternativa é a antiga linha de montanha, com uma visão panorâmica.

Para reduzir os inconvenientes, a FFS aumentou recentemente a frequência nos períodos mais críticos. Além disso, a partir de 2019, circularão trens novos, mais rápidos e mais amplos.

Gotardo, um coração sem aorta

Fazer um balanço da nova linha a menos de seis meses da entrada em serviço é prematuro. A plena capacidade será atingida no final de 2020, quando será aberto o túnel de base do Monte Ceneri (15,4 km), o outro elemento central da linha do São Gotardo. A partir daí poderão circular 260 trens de carga de 750 metros de comprimento, com capacidade para 377.000 toneladas por dia.

O sucesso da operação, com a possibilidade de transportar carga do Mar do Norte para o Mediterrâneo, dependerá dos países limítrofes e no restante da Europa completarem o mais rápido possível as linhas de acesso ao São Gotardo. A Itália está no caminho certo, mas no Norte ainda resta muito a fazer diz Gauderon. "Holanda, Bélgica e Alemanha devem intensificar seus esforços”.

Caso contrário, para usar a metáfora da chanceler alemã, Angela Merkel, na abertura em 1° de junho do ano passado, o Gotardo será um ”coração sem aorta".





Adaptação: Claudinê Gonçalves

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×