Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Salzburgo

A velha Salzburgo e a imponente fortaleza de Hohensalzburg.

(Keystone)

Salzburgo transpira cultura por todos os poros. Mas a bela cidade austríaca tem muito mais a oferecer do que as referências onipresentes a Wolfgand Amadeus Mozart, seu mais célebre cidadão.

Monumentos, praças, igrejas, palácios e maravilhosos recantos conferem à cidade um caráter especial, uma qualidade única.

Para os amantes da cultura, Salzburgo é um verdadeiro paraíso. A cidade realiza mais de 4.000 eventos de todos os gêneros ligados à música e ao teatro.

Muito mais que Mozart

Suntuosidade e elegância transportam os visitantes a um outro momento, a um outro século. A curiosidade aumenta assim que se cruzam as pontes que cortam o rio Salzach, na direção do centro histórico.

É nesse momento que, prazerosamente, a gente se perde nas ruelas charmosas dessa parte da cidade. Milhares de pormenores contribuem para dar a ela um caráter particular.

Imagens religiosas, estátuas, inscrições e placas dedicadas a diferentes personalidades que viveram na cidade, afrescos nos muros e fachadas, painéis metálicos que demarcam as bonitas lojas, enfeites dourados, antiquários, sofisticados cafés e luxuosos restaurantes, fazem de cada canto de Salzburgo um lugar mágico.

Esse museu "a céu aberto" oferece uma infinidade de surpresas para serem soboreadas sem pressa. Getreidegasse é a principal artéria da cidade antiga onde se encontra a casa em que Mozart, agora convertida em pinacoteca.

Turismo incessante

Ao mesmo tempo em que se passeia, escuta-se também uma diversidade de idiomas de turistas que visitam a cidade, durante todas as estações do ano : em Salzburgo fala-se espanhol, japonês, alemão, inglês, francês, italiano, português...

O turismo representa, aliás, a principal atividade econômica local.
"O verão é péssimo. Se eu tivesse que escolher uma época do ano para visitar a cidade, seria durante o outono", comenta, com muita convicção, Marco Stingelin, presidente da Associação dos Suíços de Salzburgo.

"O único problema é que venta muito e o tempo é bastante instável", diz ele. Mas isso não afasta muito os turistas. Das 30.000 empresas da região, "5.000 aproximamente estão ligadas ao turismo, que oferecem uma incrível quantidade de opções: esqui, caminhadas, balneários, atividades náuticas..." informa Marco Stingelin.

Habituados a esse vai-e-vem contínuo, os habitantes da cidade trabalham em seus cafés, hotéis e restaurantes. "Os cidadãos de Salzburgo levam uma vida tranqüila, são muito trabalhadores e adoram desfrutar desse ambiente, sair, comer nos restaurantes. A vida de Salzburgo gira em torno do rio. Próximo dele, há numerosos bares e pubs irlandeses que entretêm os visitantes com música ao vivo", confirma Marco Stingelin.

Respeito e tradição

"Eles sentem muito orgulho de seu patrimônio cultural e de sua história. Acredito que ainda sintam saudades dos tempos imperiais", explica Marco Stingelin, depois de um momento de reflexão.

Percebe-se isso, sem dúvida alguma, no respeito que o povo sente pela tradição de Salzburgo. "Eles respeitam muito a cultura local, a música. E tanto os jovens quanto os adultos vestem o traje típico - o Trachten - aos domingos. No inverno, as estátuas são cobertas por estruturas transparentes em forma de pirâmides para evitar que se desgastem. As fachadas dos edifícios, de cores vivas e variadas, também são muito bem cuidadas", comenta o suíço.

Esse forte apego às tradições se mantém, igualmente, em relação à hierarquia. "Aqui, o título ou a função de uma pessoa são mais importantes que o nome e o sobrenome. Os termos « diplomado » ou « mestre » são usados nos cartões de visita por seus titulares. Se eu vou a um médico, devo me lembrar de chamá-lo de Herr Doktor (Senhor Doutor) e jamais por seu nome. E se eu encontro a esposa dele, é normal dizer a ela Frau Doktor (Senhora Doutora)" observa, sorridente, Marco Stingelin.

« Como em casa »

"Em Salzburgo, eu me sinto em casa. Há montanhas e lagos, seus moradores se parecem muito com os suíços. Aqui se encontra tudo o que se precisa, come-se muito bem e os preços são bastante razoáveis", diz o suíço que mora em Salzburgo há três anos.

"Uma coisa que incomoda são os impostos que representam cerca de 45% do salário. O valor dos aluguéis é suportável, mas, é melhor não morar no centro, cujos preços são proibitivos. Muita gente mora fora da cidade e diariamente vem ao centro trabalhar. Viena é mais barata".

Festival e suavidades

O famoso Festival de Salzburgo é uma das grandes atrações da cidade. Ele acontece no Festspielhaus, um antigo picadeiro e à sua porta há um monumento eqüestre no meio de uma fonte iluminada. Era usado para lavar cavalos, antes de entrarem no picadeiro. Essa casa de espetáculos foi construída no coração de uma das duas colinas que envolvem a cidade velha.

Mas Salzburgo é principalmente conhecida pela variedade de doces e tortas que oferece. A Sachertorte ao chocolate ou os Mozartkugeln - bolinhas de marzipã recheadas de nugá - são as lembranças mais populares da cidade.

Além dessas variedades, existe sobremesa admiráveis em Salzburgo, especialmente, por seu tamanho. "Se você pedir um Salzburger Nockerl para uma pessoa, não vai conseguir terminá-lo. Corre-se o risco de morrer de indigestão. O ideal é dividir entre... quatro pessoas", aconselha Marco Stingelin.

swissinfo, Iván Turmo, de Salzburgo

Salzburgo

Salzburgo é a quarta cidade austríaca em termos de população. É a capital federal do Estado do mesmo nome.

A cidade antiga, classificada como Patrimônio Mundial pela Unesco, em 1997, se caracteriza por sua arquitetura barroca.

Situada a apenas alguns quilômetros da fronteira alemã, essa cidade alpina conta com uma população de 150.000 almas. Ela é considerada irmã-gêmea da capital suíça, Berna, desde 2006.

Se bem que a localidade seja mais antiga, o nome de Salzburgo foi citado pela primeira vez em 755 em referência ao sal, uma vez que os navios que transportavam esse produto, passavam pela vila, para pagamento dos impostos devidos. (Em alemão, "Salz" significa sal).

Aqui termina o infobox

A Eurocopa em Salzburgo

O Estádio Wals-Siezenheim foi inaugurado em março de 2003, com capacidade para apenas 18.686 lugares.

Sua capacidade será aumentada para 30.000 lugares para a Eurocopa 2008, de acordo com as exigências da UEFA.

Os jogos poderão ser igualmente assistidos através de tela gigante que será instalada na Kapitelplatz. Nessa mesma praça haverá atrações especiais para famílias com crianças.

Três jogos estão previstos em Salzburgo: Grécia-Suécia (10 de junho), Grécia-Rússia (14 de junho) e Grécia-Espanha (18 de junho).

Aqui termina o infobox


Links

×