Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Sindicatos priorizam estabalidade do emprego

Serge Gaillard (à direita) e Paul Rechsteiner, secretário e presidente da USS

(Keystone)

Diante da estagnação econômica atual, o essencial é garantir o emprego e promover a modernização social, segundo a União Sindical Suíça (USS), maior central sindical do país.

O período de crescimento da economia foi muito curto e o desemprego volta a crescer, afirmou o secretário da USS, Serge Gaillard, na coletiva de início de ano, em Berna.

Redução da jornada de trabalho

Os sindicatos incitam as empresas a não licenciar seus funcionários e sim reduzir a carga horária. "Esperamos que esse período de estagnação não dure muito", disse Gaillard.

O USS prevê que a economia voltará a crescer ainda este ano mas também critica a política do "franco forte" do Banco Central Suíço (BNS). O presidente do USS, Paul Rechsteiner, incitou o BNS a "praticar uma política que serve aos interesses da economia e do emprego".

Franco muito forte

Ele critica o valorização do franco em relação ao euro e calcula que o câmbio atual ameaça diretamente 10 mil empregos na Suíça. O sindicato afirma que essa política encareceu os produtos suíços de 8,5%, tornando-os menos competitivos no mercado europeu.

O USS também considera "inaceitáveis" as iniciativas da Câmara dos Deputados de reduzir as indenizações do seguro desemprego e defende que uma maior proteção social deve ser inscrita na lei.

swissinfo com agências


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×