Navigation

"É preciso um grande esforço organizacional"

Claudine Esseiva. Keystone / Rouzes

Claudine Esseiva (42), suíça, é formada em administração de empresas e tem mais de uma década de experiência em gestão. Como política e mãe de um filho de 6 anos, ela é capaz de conciliar seus vários compromissos graças à boa coordenação com seu marido.

Este conteúdo foi publicado em 17. agosto 2020 - 10:00

"Para mim sempre esteve claro que eu queria continuar trabalhando, porque duas coisas são muito importantes para mim: independência financeira e o fato de um casal ser composto por duas pessoas com direitos iguais que levam a mesma vida todos os dias", explica a nativa de Freiburg, que foi co-fundadora da subsidiária suíça do Grupo Ingenico e da empresa Macmac Media. Desde 2011, trabalha como consultora na agência de relações públicas furrerhugi em Berna, onde é sócia.

"Temos que fazer um grande esforço organizacional", diz Claudine Esseiva e acrescenta que ela e seu parceiro falaram muito sobre o assunto antes de estabelecer a família. Mas na maioria dos casos os casais não falam o suficiente sobre isso e escolhem a saída mais fácil: a mulher que cuida dos filhos é quem reduz suas horas de trabalho para 40-50% enquanto o homem continua a trabalhar em tempo integral. Ela observa ainda que: "Este ainda é o modelo dominante na Suíça.

Claudine Esseiva também é politicamente ativa. Desde 2017, a política autônoma é deputada do parlamento da cidade de Berna. Ela é ativista pela igualdade de oportunidades e presidente da associação BPW Suíça (Business and Professional Women).

Nem sempre esta é uma tarefa fácil, admite ela. "Meu companheiro e eu sempre cuidamos de nosso filho na mesma medida". O casal Esseiva também é apoiado pelos avós.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.