Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

#WeAreSwissAbroad Nina Bader: "Viver em Vancouver é muito mais tranquilo"

nina 1

Nina in Vancouver

Nina Bader, 27, aprendeu a amar cidade canadense de Vancouver enquanto estudava, e encontrou seu amor e um trabalho. Ela gosta do estilo de vida descontraído da Costa Oeste, e as muitas opções culinárias oferecidas pela orla da cidade.

swissinfo.ch: Quando e por que você saiu da Suíça?

Nina Bader: minha história é um pouco complicada - eu estive em 2012 por seis semanas no Canadá para viajar pelo país. Por ter gostado muito, voltei para um intercâmbio de seis meses. Depois eu fiz um ano de faculdade, mas ainda não tinha conhecido suficientemente a cidade. Além disso conheci meu namorado nesse meio tempo e procurei, depois do meu mestrado, um trabalho em VancouverLink externo.

Agora faz sete meses que trabalho na Câmara de Comércio Suíça-Canadá. Os primeiros meses foram uma montanha-russa de emoções - tudo é novo e excitante, e, ao mesmo tempo, é também um pouco atormentado pela saudade. No entanto, tive a sorte de ter meu namorado vivendo aqui, e muitos dos meus amigos dos meus tempos de faculdade ainda estão aqui.

#WeAreSwissAbroad Banner

Mostre a Suíça global: marque suas fotos no instagram com o hashtag
#WeAreSwissAbroad 

Nós vamos compartilhar fotos e vídeos selecionados em nossa página do instagram, e esperamos descobrir suíços e suíças vivendo histórias notáveis pelo mundo.

É um grande prazer para a swissinfo.ch oferecer uma plataforma para você publicar suas vivências em retratos, anedotas e histórias. 

(swissinfo.ch)

swissinfo.ch: Foi uma viagem sem retorno, ou você está planejando voltar para a Suíça?

NB:. Até hoje não chamo de emigração, mas de uma mudança para o estrangeiro, porque posso facilmente imaginar-me voltando para a Suíça. Meu namorado é mexicano, então temos que decidir em algum momento onde exatamente nós queremos nos estabelecer.

swissinfo.ch: Como você conseguiu seu emprego na Câmara de Comércio Suíça-Canadá?

N.B.: Tive a sorte incrível de estar no lugar certo na hora certa. Eu consegui o emprego, solicitei um visto para jovens profissionais e tudo começou. Meu foco principal é comunicação, marketing, planejamento de eventos e muito trabalho administrativo.

A maior diferença entre o mundo do trabalho canadense e o suíço: você chama a todos de “você” (e não de senhor/senhora), e o código de vestimenta é muito mais descontraído.

nina 2

Boat Party Vancouver

A post shared by Nina (@whataboutnina) on

swissinfo.ch: o que você faz no seu tempo livre?

N.B.: Eu adoro explorar a cidade - muito ainda é novo, mesmo depois de dois anos. Adoro descobrir novos bairros, deitar na praia ou fazer uma pequena viagem.

Muitas coisas eu fotografo e compartilho no meu blogLink externo. Eu comecei isso quando eu estava aqui no meu intercambio, então minha família e amigos estariam sempre atualizados. Além disso, o blog é muito divertido e eu escrevo uma pequena atualização todas as semanas.

swissinfo.ch: como é a vida, a culinária em Vancouver?

N.: Uma culinária típica canadense não existe na minha opinião, mesmo que provavelmente alguns aqui me contradigam. Há tantas culturas diferentes no Canadá, que você pode desfrutar por aqui.

A cozinha asiática é muito forte em Vancouver, pois muitos asiáticos vivem aqui. Então adoro comer sushi. Claro, há também a cozinha clássica americana, com hambúrgueres, principalmente em um dos muitos pubs.

Mas você também pode comer comida mexicana, italiana, grega ou indiana de acordo com sua vontade. Graças a grande quantidade de pequenos restaurantes, as pessoas sem com mais frequência para comer fora de casa. Em comparação com a Suíça também é um pouco mais barato fazê-lo.

swissinfo.ch: O que é mais atraente no Canadá do que na Suíça? Qual é a maior diferença para com a Suíça?

N.B.: A vida aqui é incrivelmente linda, a qualidade de vida é muito alta. Você tem as montanhas e o mar bem na frente de casa, e, portanto, você pode combinar a vida do campo e da cidade perfeitamente.

Além disso, acho a vida aqui muito mais tranquila e relaxada, as pessoas da Costa Oeste têm seu próprio ritmo. As pessoas nem sempre veem tudo de forma tão “estreita”. E você diz “obrigado”, toda vez que você sai do ônibus. Você faria o mesmo na Suíça? :-)

nina 3

Kafffeetasse

A post shared by Nina (@whataboutnina) on

swissinfo.ch: como você vê a Suíça de longe?

N.B.: Eu acho a gente só aprende a apreciar a Suíça corretamente quando está no exterior. Pelo menos comigo foi assim! De repente você percebe quão incrivelmente organizados, confiáveis e estruturados nós somos. Em outros países, essas qualidades não são tão evidentes e se percebe que algumas coisas funcionariam melhor, com um pouco mais de organização. Estou feliz por poder chamar a Suíça de minha terra natal, e sempre retorno com muita alegria.

Por outro lado, também acho que a vida na Suíça é muito exigente, uma vez que a pressão e a expectativa de desempenho são muito altas. Você tem que provar a si mesmo e a todos. Somos incrivelmente rigorosos com nós mesmos. Um pouco de serenidade seria bom para a Suíça.

nina 4

Nina

A post shared by Nina (@whataboutnina) on

swissinfo.ch: Qual é a situação política no Canadá? Você se interessa pela política no seu país de residência?

N.: Como estudei ciências políticas na Universidade de Zurique, sou muito interessada pela política em geral e, claro, pela canadense. Por isso no meu ano de faculdade aqui também fiz um curso de política canadense, para realmente entender o sistema.

A situação política aqui é muito animadora no momento. Na América do Norte dois mundos colidem politicamente: o jovem liberal Justin Trudeau contra o conservador Donald Trump. Além disso, considero interessante como os processos políticos estão ocorrendo aqui. O país é incrivelmente grande e as Costas Leste e Oeste são dois mundos diferentes. Além disso, o Canadá é muito multicultural e todos têm uma base diferente. Isso representa grandes desafios para os políticos.

swissinfo.ch: Você participa das eleições e plebiscitos na Suíça? Via correio ou pelo voto eletrônico?

N.B.: Não, infelizmente não posso no momento porque ainda estou registrada na Suíça e, portanto, meus documentos não são enviados ao Canadá. Mas ainda acompanho as eleições. Uma vez meus pais vieram me visitar e trouxeram meus documentos de votação para preencher.

swissinfo.ch: Do que você mais sente falta da Suíça?

N.B.: Assim como de todas as pessoas que vivem no exterior, sinto falta da minha família e dos meus amigos. Às vezes sinto falta da vida cotidiana na Suíça, nas ruas de Zurique, a vista da varanda de meus pais, o "Schwizerdütsch" (alemão suíço, dialeto).

E, claro, sinto falta da comida – na maior parte sinto falta do pão, queijo e cervelat (salsicha típica suíça). As três primeiras coisas que sempre como quando estou em casa. :-)

nina 5

Bootshafen Vancouver

A post shared by Nina (@whataboutnina) on

In ihrer Freizeit zieht Nina gerne los, um für ihren Blog zu fotografieren.

Mostre a Suíça global: marque suas fotos no instagram com o hashtag #WeAreSwissAbroadLink externo

As opiniões manifestadas neste artigo, dentre outros sobre o país de acolho e sua política, são pessoais e não correspondem às posições da plataforma de informaões swissinfo.ch.


Adaptação: Flávia C. Nepomuceno dos Santos, swissinfo.ch (entrevista foi realizada por escrito)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×

Destaque