Navigation

ONG soa o alarme contra a pobreza infantil na Suíça

Mais de 100 mil crianças são afetadas pela pobreza na Suíça e o número está aumentando, segundo a Caritas. A organização pediu aos políticos que implementassem prestações familiares suplementares em todo o país.

Este conteúdo foi publicado em 02. dezembro 2019 - 12:07
Segundo a Caritas, há em média uma criança pobre em cada sala de aula Keystone

"A Suíça não está disposta a agir. O governo deixa a luta contra a pobreza para os cantões, o que leva à desigualdade de oportunidades", criticou a Caritas na segunda-feira (2). 

Após as eleições legislativas de outubro, a Caritas fez um apelo ao novo parlamento para que "assumisse a liderança e criasse o quadro jurídico para uma luta nacional contra a pobreza infantil".

Há cerca de 1,7 milhões de crianças na Suíça, das quais 103 mil são afetadas pela pobreza, disse Marianne Hochuli, responsável do departamento de pesquisa da ONG. 

"Em outras palavras, em cada sala de aula, há em média uma criança pobre. E se contarmos as crianças que vivem um pouco acima da linha da pobreza, há três por classe", disse. 

Um terço das pessoas que dependem de ajuda social são crianças e adolescentes, segundo a Caritas. 

"É intolerável que o desenvolvimento das crianças sofra como resultado da renda insuficiente de seus pais ou que essas crianças sejam punidas por causa da situação familiar em que crescem", disse Hugo Fasel, diretor da Caritas Suíça. 

Trabalhadores pobres 

A ONG ressaltou que existem medidas eficazes para combater a pobreza infantil, destacando exemplos de quatro cantões. Genebra, Vaud, Solothurn e Ticino introduziram benefícios adicionais para as famílias, resultando em uma queda significativa do número de famílias que solicitam assistência social. 

Há muitas razões para a pobreza infantil na Suíça, explicou a instituição de caridade. Criar uma criança custa cerca de CHF 7.000 a CHF 14.000 por ano, o que é particularmente alto para os pais de baixa renda, diz a instituição. Cerca de 70% das crianças afetadas pela pobreza na Suíça crescem em famílias pobres trabalhadoras.

A Caritas também destaca que a Suíça está abaixo da média europeia em termos de investimento público em crianças e famílias.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.