Navigation

Genebra negocia com a França soluções para trânsito fronteiriço

Problema antigo e crescente: motoristas transfronteiriços franceses engarrafados no trânsito por causa do posto de Moillesulaz, perto de Genebra, março de 2014 Keystone

Representantes do cantão de Genebra e da vizinha França chegaram a um acordo para reduzir os congestionamentos que obstruem regularmente pequenos postos fronteiriços na hora do rush. Todos os dias, 600.000 pessoas atravessam as fronteiras de Genebra com a França e com o cantão de Vaud, a maioria em carros particulares.

Este conteúdo foi publicado em 24. janeiro 2018 - 14:28
RTS, RTS

A rádio pública suíça, RTS, informou na quarta-feira que uma carta de intenção foi assinada pelas autoridades de Genebra e francesas para reduzir o tráfego rodoviário em pequenos cruzamentos de fronteira. As medidas incluem novas linhas de ônibus transfronteiriços e um compromisso conjunto para desenvolver esquemas de compartilhamento de carros e estacionamento.

Se a situação do tráfego não melhorar até o final de 2019, será realizada uma experiência em determinadas estradas durante as horas de pico, permitindo apenas ônibus, motocicletas, ciclomotores, bicicletas e veículos compartilhados.

Como as principais ruas e rodovias em Genebra têm ficado cada vez mais congestionadas, o tráfego transbordou para estradas secundárias e pequenos cruzamentos de fronteira, que testemunham diariamente filas de automóveis, caminhões e outros veículos durante os horários de pico.

Após as queixas de pequenos vilarejos e comunas em torno de Genebra sobre o crescente tráfego, o ministro dos Transportes do cantão, Luc Barthassat, ameaçou prolongar o tempo de fechamento de alguns pequenos cruzamentos nas fronteiras.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.