Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Mídia é líder de confiança entre eleitores suíços



Equipe de TV faz gravações no plenário da Câmara dos Deputados, em Berna

Equipe de TV faz gravações no plenário da Câmara dos Deputados, em Berna

Pela primeira vez desde 1976, os meios de comunicação lideram o ranking das instituições em que os eleitores da Suíça mais confiam.

As maiores preocupações dos suíços mudaram pouco em 2009. O desemprego continua em primeiro lugar, seguido pela previdência social para a velhice e pelo sistema de saúde.

O medo de perder o emprego, que vinha diminuindo desde 2005, este ano aumentou 13% em relação a 2008. Ele é apontado como principal pedra no sapato por 66% dos entrevistados, quase o dobro das outras duas maiores preocupações (36% cada).

É o que mostram os dados de uma sondagem representativa realizada junto a mil eleitores, entre 24 de agosto e 12 de setembro de 2009, pelo instituto de pesquisa de opinião pública GfS.Bern, por encomenda do banco Credit Suisse.

Aumentou em relação ao ano passado a preocupação dos suíços com a situação da economia: 44% dos entrevistados a consideram “crítica”, enquanto 50% opinaram que ela permaneceu quase igual à do ano passado. A maioria, porém, considera boa sua situação econômica pessoal.

Temas como proteção ao meio ambiente, energia, política familiar, a problemática dos estrangeiros, refugiados/asilo, segurança pessoal, União Europeia e globalização perderam importância (veja os números na coluna à direita).

A pesquisa indica também que as maiores preocupações dos suíços continuarão praticamente as mesmas daqui a dez anos: desemprego (58%), previdência social para a velhice (35%), nova pobreza (33%) e questões ligadas à saúde (32%).

Confiança na política e na mídia

Uma surpresa é que, pela primeira vez desde a criação do “barômetro (anual) das preocupações” em 1976, este ano os meios de comunicação são os atores em que os suíços mais confiam.

Líder absoluta em confiança é a televisão (72%), seguida pela rádio (70%), o Tribunal Federal e a polícia (66% cada), a Câmara dos Deputados (64%) e os sindicatos (60%) – veja gráfico à direita.

Segundo análise do Credit Suisse, o fato de a mídia ter superado o Tribunal Federal e a polícia – líderes nos anos anteriores – se deve ao fortalecimento da Sociedade de Radiodifusão Suíça (SRG), à qual pertence também a swissinfo.ch, como "fábrica de consenso". A SRG, principal grupo de multimídia do país, é de direito público.

Também pode ter influído no resultado o fato de a sondagem, desde 2008, ser feita separadamente para cada tipo de mídia. Antes era usada nas entrevistas a expressão "meios de comunicação de massa", que tem conotação negativa.

Aumentou bastante no ano passado a confiança dos suíços na internet (52%/+18%) e na imprensa escrita, embora os suíços confiem mais nos jornais gratuitos do que nos pagos.

Partidos em baixa

De acordo com a sondagem, a confiança dos eleitores suíços nas principais instituições políticas aumentou no ano passado. A grande vencedora foi a Câmara dos Deputados (+16%), líder entre os atores políticos.

Os partidos aparecem no final do ranking, superando em apenas 1% a confiança dos suíços na União Europeia, última colocada. "Isso é um sinal de que, em tempos de crise, espera-se consenso em vez de disputa por interesses particulares", escreve o Credit Suisse em um comunicado.

A conclusão geral da pesquisa é que o clima entre os suíços contrasta claramente com a opinião pública – ou publicada. A crise econômica e o aumento do desemprego preocupam, mas não há no país uma sensação de profunda crise, como foi o caso na derrocada da "new economy" em 2001.

Geraldo Hoffmann, swissinfo.ch

Preocupações dos suíços

O que mais preocupa a população suíça?

Tema 2009 (diferença em relação a 2008)

Desemprego 66% (+13)
Sistema de saúde 36% (-4)
Previdência/velhice 36% (-3)
Segurança social 31% (+11)
Crise financeira 29% (-)
Crise econômica 27% (+10)
Segurança pessoal 25% (-2)
Estrangeiros 23% (-1)
Nova pobreza 22% (-6)
Refugiados 17% (-13)
Meio ambiente 17% (-3)
Salários 16% (-1)
Inflação 14% (-18)
Finanças federais 12% (-8)
Integração europeia 12% (-5)
Crise na bolsa 11% (-)
Pareceria social 11% (+1)
Globalização 11% (0)
Energia 9% (-6)
Drogas 9% (-1)

Fonte: GfS.Bern/Credit Suisse

Aqui termina o infobox
(swissinfo.ch)


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×