Navigation

Skiplink navigation

Zurique pede que estrangeiros se tornem cidadãos suíços

O prefeito de Zurique enviou cartas aos residentes estrangeiros da cidade pedindo-lhes que se tornem cidadãos suíços antes que as leis se tornem mais rigorosas no final do ano.

Este conteúdo foi publicado em 28. março 2017 - 14:49
swissinfo.ch/fh
Novos cidadãos suíços no Centro de Congressos de Zurique. Keystone

Um terço dos residentes de Zurique detém atualmente um passaporte estrangeiro, em comparação com um quarto da população nacional. A partir de 2018, quem quiser se tornar cidadão suíço terá que enfrentar obstáculos mais altos devido a mudanças na lei.

O período de residência para as naturalizações não facilitadas vai cair de 12 para 10 anos, mas os candidatos precisam provar proficiência linguística e residir em um cantão por um período de tempo definido. Apenas os titulares da permissão de residência de nível C serão autorizados a fazer o pedido.

O jornal suíço 20 Minuten informou na sexta-feira que Zurique enviou cartas para 40.000 estrangeiros com uma mensagem de sua prefeita, Corine Mauch, pedindo-lhes que se tornassem suíços. "Nosso sistema democrático seria fortalecido se mais pessoas pudessem votar", disse seu porta-voz, Nat Bächtold, ao jornal.

Mas a política de envio de cartas foi criticada pelo deputado conservador do Partido do Povo Suíço (SVP) de Zurique, Claudio Zanetti, que lamentou o fato dos contribuintes estarem pagando a conta de postagem.

Naturalizações em massa

O plano de reforçar as leis de naturalização já é conhecido há alguns anos, e os resultados foram espetaculares. Em 2015, o número de residentes estrangeiros que se tornaram suíços subiu 19%, o mesmo nível alcançado no ano passado.

Em Genebra, que abriga a sede europeia das Nações Unidas e muitas outras organizações mundiais e ONGs, o número de cidadãos suíços recém-criados mais que dobrou em 2015, para quase 6000.

De acordo com o 20 Minuten, os residentes estrangeiros em Basileia também receberam cartas semelhantes, enquanto Lucerna e St Gallen estão considerando uma abordagem "pró-ativa" para as naturalizações.

Em 2014, os eleitores aprovaram um plebiscito para restringir o número de estrangeiros que entram na Suíça, mas em fevereiro deste ano os eleitores aprovaram outra iniciativa para tornar mais fácil a naturalização para as pessoas cujos avós vieram para a Suíça.



Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo