Navigation

Italiano tem cidadania negada depois de 30 anos de residência

As autoridades locais têm a palavra final sobre quem pode ou não obter a cidadania suíça. © Keystone / Christian Beutler

Um italiano que vive na Suíça há 30 anos não teve um processo justo por parte das autoridades locais para obter a cidadania suíça, decidiu o Tribunal Federal.

Este conteúdo foi publicado em 28. janeiro 2020 - 10:19

O homem foi rejeitado por falta de integração social e porque seu conhecimento geográfico e cultural era considerado insuficiente. Mas o tribunal disse que muita ênfase foi colocada nesses critérios e que algumas das perguntas feitas eram muito específicas.

Por exemplo, ele não sabia que ursos e lobos são mantidos no mesmo recinto no zoológico local.

As autoridades de Arth, no cantão central de Schwyz, deveriam ter sido mais equilibradas, levando em consideração que o candidato administra uma pequena empresa há vários anos, tendo contato frequente com os moradores locais, de acordo com a decisão publicada na segunda-feira.

O tribunal ouviu do candidato que a entrevista de naturalização foi realizada de maneira tensa e que os entrevistadores demonstraram certa hostilidade.

Os estrangeiros sem vínculos diretos de sangue com a Suíça, por nascimento ou casamento, devem morar no país por pelo menos dez anos antes de poderem solicitar a cidadania. Os candidatos podem ser negados se tiverem antecedentes criminais.

Nesse caso em particular, o candidato foi acusado de não haver declarado uma propriedade italiana em suas declarações fiscais, mas o promotor público decidiu não levá-lo a tribunal.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.